Um ano de Parque Metrópole Digital de Natal.

0

por redação Socialismo Criativo em 05/10/2018.

Empreendimentos de outros estados serão atraídos a Natal durante os próximos quatro anos. Foto de Alex Regis – MTur.

Vinte e cinco empresas credenciadas e 450 empregos diretos gerados em 12 meses. Esse é o balanço do primeiro ano do Parque Tecnológico Metrópole Digital, uma iniciativa da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN),através Instituto Metrópole Digital (IMD), inaugurado em agosto de 2017.Suas ações estão sendo articuladas como objetivo de fomentar um polo de Tecnologia da Informação (TI) em Natal. Inclusive, atualmente, é a única iniciativa com estratégias para desenvolvimento do setor em funcionamento no estado.

A instituição é integrada pelo modelo tripla hélice de inovação, que envolve, além da academia,outros dois setores: iniciativas privadas e instâncias públicas. Agrega assim, como parceiros, o Sebrae e a Prefeitura Municipal de Natal.Em termos práticos, o Metrópole Digital busca incentivar novos empreendimentos na área de inovação tecnológica disponibilizando acesso a serviços nos setores de infraestrutura, pesquisa, tecnologia e incentivos fiscais no município.

O Metrópole Digital é o único parque tecnológico em Natal. Foto de Ney Douglas – MTur.

Sua incubadora, a Inova Metrópole, é responsável pelo desenvolvimento de 50% dos empreendimentos vinculados ao Metrópole Digital, chamados de associados residentes. Já os não residentes são aqueles que não passaram pelo processo de incubação dentro da instituição, mas que, hoje, estão vinculados a ela. Essas empresas compartilham auditório, salas de aula, de reunião, salões de treinamento e laboratórios.

Os serviços que essas 25 empresas produzem são diversificados dentro da área de inovação tecnológica, como o desenvolvimento de programas para impressoras 3D e peças a partir desses equipamentos, por exemplo. Há as que desenvolvem sistemas de gestão para autopeças, outras para auxiliar no fluxo de agendamento de pacientes em consultórios médicos.

Além da variedade das empresas credenciadas, um ponto positivo desses negócios,no Metrópole Digital, é que muito do que é oferecido está com valor abaixo dos ofertados por concorrentes no mercado, já que a própria estrutura da instituição – que diminui custos de investimentos e manutenção – permite que os empreendedores pratiquem preços diferenciados.

Cluster Metrópole Digital

Essa reunião, em um mesmo ambiente, de empresas que compartilham estrutura, têm possibilidade de criar vínculos de serviços complementares, de criar projetos juntas, faz do Metrópole Digital um cluster, o que valoriza a imagem da instituição e dos empreendimentos a ela credenciados. Some-se a isso a expansiva presença da UFRN, que cria, para práticas de mercado, produções acadêmicas que tanto podem ter, no parque, algum corpus de pesquisa quanto ofertam material pesquisado para auxiliar nas dinâmicas de negócios.

“O que o parque está tentando promover é que se tenha cada vez mais formação de talentos e que estes talentos tenham possibilidade de se manter no estado, tendo oportunidades de trabalho desafiadores, e que a gente possa atrair também novos talentos para nosso estado”, diz o diretor do Parque Tecnológico Metrópole Digital, Anderson Paiva Cruz. Pensando no reforço para alcance dos objetivos,  estudantes e profissionais formados pela UFRN estão na lista de público-alvo na prospecção de novos negócios credenciados no parque.

O amadurecimento do sistema de inovação para o Rio Grande Norte, através do Metrópole Digital, deve acontecer nos próximos quatro anos, conforme planejam seus gestores. Até lá, o reforço da marca da cidade de Natal precisa ser desenvolvido para que empresas de outros estados vejam esse parque tecnológico como investimento viável e promissor.

Veja também

COMPARTILHAR

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here