Centro Social Urbano de Pernambués, em Salvador, ganha laboratório tecnológico.

0

por Ascom/Secti-Ba. em 31/08/2018

Crianças e adolescentes de Pernambués, em Salvador, passaram a contar com um espaço voltado para a criação de soluções tecnológicas de impacto social. Trata-se do Laboratório Tecnológico com Acesso Público, o Include, instalado no Centro Social Urbano (CSU) do bairro, espaço administrado pelo Governo do Estado. O equipamento inaugurado na manhã da última quinta-feira, dia 30 de agosto, foi viabilizado através da parceria do Instituto Campus Party (ICP) e a Secretaria Estadual da Ciência, Tecnologia e Inovação do Estado (Secti).

Foto: Alberto Coutinho/GOVBA

Segunda unidade do tipo a ser inaugurada com a chancela do ICP na Bahia, – a primeira fica no município de Canudos, na região norte do estado -, o Include instalado em Pernambués visa, principalmente, fomentar a inclusão social e econômica de jovens da comunidade, que são excluídos da tecnologia e que não têm acesso a esse universo. Os frequentadores do local participarão de aulas de eletrônica, mecânica, sensores, robótica e programação.

De acordo com o titular da Secretaria Estadual da Ciência, Tecnologia e Inovação do Estado (Secti), Rodrigo Hita, os requisitos para participar dos cursos são simples e o mais importante é o nível de interesse do jovem da comunidade em aprender e passar a fazer parte desse mundo de inovação. Ainda segundo Hita, na parceria com a Campus Party, que já dura dois anos, o Estado oferta local, monitores e profissionais, e o ICP reúne recursos da iniciativa privada.

O presidente do ICP, Francesco Farrugia, destacou que jovens de 10 a 18 anos, moradores de Pernambués, vão aprender a utilizar verdadeiramente a tecnologia como meio de trabalho. O gestor enumera que 30% a 40% dos alunos que frequentam as aulas já adquirem conhecimento suficiente em quatro ou cinco meses para ganhar dinheiro, sem precisar sair da comunidade.

Estrutura

Foto: Alberto Coutinho/GOVBA

O Include de Pernambués possui uma gama variada de dispositivos tecnológicos, a exemplo de computadores de última geração, impressoras 3D e óculos de realidade virtual. O local vai funcionar, ainda, como ponto de coleta de lixo eletrônico, a fim de que profissionais capacitados possam fazer o reaproveitamento adequado do material, para uso dentro das salas de aula. O Laboratório Tecnológico de Acesso Público do Instituto Campus Party fica na Rua Thomaz Gonzaga, número 150.

Metodologia

Logo no primeiro dia de aula, os alunos já são convocados a listar e discutir as principais dificuldades enfrentadas pela comunidade onde moram. Nos próximos encontros, realizados ao longo do semestre, os jovens formam equipes com seis ou sete integrantes e passam a desenvolver e construir soluções para cada um desses problemas apresentados no início do curso.

Jovens que residem na própria comunidade foram escolhidos e treinados pelo Instituto Campus Party para serem os monitores do Include. Eles vão ministrar duas aulas por semana, usando o material didático formulado para a iniciativa. Essa estratégia deve estimular ainda mais os alunos, que verão nesses monitores exemplos próximos de ascensão por meio da tecnologia, conforme explicou Francesco Farrugia.

O Instituto Campus Party é o responsável pela promoção da maior experiência mundial na área de ciência, inovação e tecnologia. A primeira edição do evento na Bahia foi realizada em agosto de 2017, na Arena Fonte, através de uma com a Secti.

Uma nova edição aconteceu em maio deste ano, também na Arena Fonte Nova.

RELEASE DA ASCOM SECTI-BAHIA
Imagens: Foto: Alberto Coutinho/GOVBA

COMPARTILHAR

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here