Tecido velho que vira novo: 3 ideias de negócio com reciclagem na moda

0

Escrito Por Juliana Brasil.

Já falei aqui no blog sobre a logística reversa, uma tendência da moda sustentável que ajuda a diminuir o lixo provocado pela indústria. Além desse, existem outros movimentos ligados a sustentabilidade na nossa área que são bons para o planeta e para os negócios. No Inside Fashion de hoje vamos falar sobre a reciclagem na moda a partir dos tecidos e suas sobras. E como isso traz inovação e oportunidades para o mercado.

Precisamos de reciclagem na moda!

Todos os anos jogamos no lixo 170 mil toneladas de retalhos, segundo dados do Sebrae. O destino desses pedaços de tecido você já sabe, né? São os lixões. E como se não bastasse o problema ambiental do descarte, existe também um desperdício de matéria-prima riquíssima. Os retalhos podem virar novas peças e novos negócios. E isso já está acontecendo.

Um exemplo interessante de fora é o da gigante H&M. A rede de lojas sueca começou a flertar com esse mercado já em 2013, quando apostou na logística reversa para fazer uma coleção de peças a partir de reciclagem. As clientes da label levaram mais de 14 mil toneladas de roupas usadas para as lojas e tudo foi transformado na linha de denim Close the Loop.

A coleção foi reeditada em 2016 e a marca deu um passo além. Criou uma iniciativa inédita para investir em novas tecnologias de reciclagem na moda a partir de tecido.

O programa Global Change Award tem por objetivo fomentar novas ideias que possam tornar a indústria da moda um processo circular e sustentável. Oferece 1 milhão de euros e já está na terceira edição.

Outro episódio de reciclagem na moda que falamos por aqui foi daquela pilha de roupas da Vetements na vitrine da Saks, vocês lembram?

Aqui no Brasil também já começam a surgir projetos bacanas com foco na produção de tecidos reciclados. Ainda é um nicho de mercado, claro, mas por isso mesmo tem muita coisa nova que pode ser feita. O mais legal, na minha visão, é poder unir inovação e sustentabilidade com uma estratégia de produção inteligente e eficaz.

Em alguns casos, existe também um lado social super importante.

Foi o que eu descobri ao conhecer algumas iniciativas brasileiras de reciclagem na moda. Dá só uma olhada!

Retalhar

Reaproveitamento de tecidos pode ser sinônimo de empreendedorismo. É o caso do pessoal da Retalhar. Eles oferecem solução de reciclagem de tecidos para seus clientes e também transformam retalhos de confecções de roupas em novos produtos como. E o melhor: quem faz essas novas peças são cooperativas de costureiras que vivem em comunidades. Ou seja, é um negócio que ajuda o meio ambiente e gera emprego para quem precisa.

A empresa só cresce, ganhou prêmios e já reutilizou 15 toneladas de retalhos que iam para o lixo.

 

Re-roupa
É possível fazer roupa feita de roupa. Essa é a mensagem principal do projeto Re-roupa, criado pela estilista Gabriela Mazepa. Ela faz isso com cursos, oficinas, consultorias e parcerias com marcas do mercado de moda. Uma delas é a Farm, que junto com o projeto está usando tecidos de sua fábrica para fazer uma nova coleção.

O projeto também tem um ateliê para produzir peças originais com restos de tecido. E nem sempre o resultado são novas roupas: podem ser acessórios e objetos de decoração.

Insecta Shoes
Retalhos viram sapatos e acessórios veganos da super ecológica Insecta Shoes. Eu falei deles no post sobre logística reversa, e além de receber os sapatos usados dos clientes só usam matéria-prima reaproveitada. E nada de origem animal também.

As estampas são feitas de diversos tipos de tecidos descartados que vêm de brechós, doações e também do Banco do Tecido, outra iniciativa super inovadora que vale conhecer. A sola e outras partes dos sapatos são de plástico reciclado e restos de borracha da indústria de calçados.

É muito bom ver iniciativas de reciclagem na moda. Afinal, repensar os processos produtivos buscando dar valor a materiais que antes eram objeto de descarte faz tanto sentido. Não sei o motivo de não fazermos isso desde sempre!

É uma questão apenas de investimento no setor de reciclagem na moda para que isso se torne cada vez mais um hábito por aqui, pois ideia e criatividade não nos faltam. Eu apoio!

Sobre a autora

Juliana Brasil, editora e fundadora deste site sobre moda, comportamento, estilo e tendência. Responsável pela curadoria de imagens, seleção de temas e referências coletadas do cenário atual, todas apresentadas com um toque bem pessoal e descontraído.

Fonte: www.julianabrasil.com.br

COMPARTILHAR

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here