Holanda planeja pavimentar suas ruas com plástico recolhido dos oceanos.

0

por redação PlasticRoad 31/01/2019.

Que tal despoluir os oceanos e, de quebra, utilizar todo o lixo plástico recolhido da água para construir ruas mais duráveis  nas cidades?

Em breve, Roterdã, na Holanda, pode ser usada como piloto para testar a ideia o projeto, batizado de PlasticRoad, é da empresa VolkerWessels e sugere aposentar o asfalto e utilizar plástico reciclado (retirado dos oceanos) para a construção de ruas. Segundo a companhia, a mudança garantirá vias até três vezes mais duráveis nas cidades – e, logo, menos custo às prefeituras.

Isso porque o pavimento de plástico reciclado é mais resistente a corrosões químicas e, ainda, suporta uma variação maior de temperatura (de -40ºC a 80ºC). Como consequência, sua vida útil é de 50 anos, enquanto a do asfalto é de cerca de 16 anos. E mais: instalar o material também é mais fácil.

Estradas de plástico reciclado

Enquanto discutimos os buracos nas vias e onde jogar o lixo, na Europa existem excelências capazes de combinar tecnologia, reciclagem de plástico, respeito ao meio ambiente e segurança viária. Às vezes seria o suficiente para copiar quem é melhor …

Substituir o asfalto por plástico reciclado nas estradas? Em Roterdã, o projeto Plastic Road poderá se tornar uma realidade em breve. A empresa Volker Wessels começou, de fato, a oferecer uma nova forma de revestimento de estradas feita com plástico reciclado.

O asfalto emite 27kg de CO2 por tonelada produzida, absorve calor e contribui de fato para o aumento das temperaturas nas cidades e áreas urbanas. Enquanto isso, nossas acumulações de plástico estão aumentando mais e mais rapidamente.

Uma nova ideia para reutilizar plásticos poderia, portanto, relacionar-se com a sua aplicação em estradas de forma adequada, na esperança de que este sistema pudesse ser mais amigo do ambiente do que o asfalto.

Quais são as vantagens das novas estradas de plástico? Segundo a empresa que oferece a novidade, as ruas de plástico reciclado são mais leves, reduzem a carga no solo e facilitam a instalação de cabos sob sua superfície.

As várias peças podem ser pré-fabricadas em uma fábrica e então levadas ao local onde são necessárias, reduzindo a necessidade de construir no local e ao mesmo tempo reduzindo o tempo necessário para a produção.

Materiais mais leves podem ser transportados de forma mais eficiente e, além disso, a duração reduzida das obras viárias levaria a uma redução do tráfego. Graças ao plástico reciclado, tanto o revestimento na estrada como a manutenção se tornariam muito mais simples.

O PlasticRoad é uma estrada baseada em plástico reciclado. É pré-fabricado e possui um espaço oco que pode ser usado para vários fins. Isso inclui armazenamento de água, trânsito de cabos e tubulações, aquecimento de estradas, geração de energia, etc. Os elementos PlasticRoad permitem a reutilização circular.


O objetivo é primeiro aplicar o PlasticRoad como uma ciclovia. Com base nas descobertas do piloto, desenvolveremos o conceito para outras aplicações cada vez mais avançadas. Vamos examinar quais aplicativos são viáveis. Isso inclui ruas residenciais, estradas, rodovias provinciais, rodovias e talvez até aeroportos. Estes são cenários para o prazo mais longo no entanto.

O PlasticRoad é produzido a partir do máximo de plástico reciclado possível: o plástico que ainda é tratado como resíduo (descartado ou incinerado). Isso permite que os resíduos de plástico voltem a entrar na cadeia em um nível muito mais alto e reduz consideravelmente sua pegada de CO2. Além disso, a inovação está de acordo com a filosofia Cradle to Cradle.

Também esperamos que seja possível reciclar uma PlasticRoad no final de sua vida em elementos para uma nova PlasticRoad (economia circular). A ideia é colocar o PlasticRoad diretamente em uma superfície de areia. Isso elimina a necessidade de uma fundação.

Além disso, economiza duas a três camadas de asfalto que não precisam mais ser produzidas. Os primeiros cálculos mostram que uma estrada feita de elementos PlasticRoad requer 85% menos transporte do que uma estrada tradicional.

Fonte:www.fundacaoverde.org.brwww.lafune.eu

COMPARTILHAR

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here