Facebook perde usuários para YouTube e Instagram.

0
Cerca de 95% dos adolescentes norte-americanos possuem ou têm acesso a um smartphone, de acordo com a pesquisa

Estudo revela, adolescentes americanos estão abandonando o Facebook em favor de plataformas como YouTube, Instagram e Snapchat.

Apenas 51% usam o Facebook, o que representa uma queda de 20 pontos percentuais desde 2015, quando o Pew Research Center, dos Estados Unidos, pesquisou pela última vez os hábitos de mídia social dos adolescentes.

A maioria das pessoas com idades entre 13 e 17 anos possui ou tem acesso a um smartphone, com 45% online em uma base quase constante.

O YouTube roubou o antigo domínio do Facebook sobre os adolescentes, com 85% deles preferindo a plataforma de compartilhamento de vídeos.

Segundo e terceiro principais serviços de mídia social entre os adolescentes são agora Instagram em 72% e Snapchat em 69%.

O número de adolescentes que usam o Twitter (32%) e o Tumblr (14%) estão praticamente inalterados em comparação com os resultados encontrados em 2015.

Enquanto o Facebook pode ter perdido o seu reinado entre o grupo de adolescentes do YouTube, o proprietário do Instagram, um serviço de rede de compartilhamento de fotos e vídeos, é o maior favorito desde 2012.

O estudo Pew, que entrevistou cerca de 750 adolescentes em um mês no início deste ano, descobriu que o aumento na posse de smartphones teve um papel importante na vida dos adolescentes. Os 95% de hoje representam um aumento de 22 pontos em relação aos 73% de adolescentes de três anos atrás.

Ele também descobriu, de acordo com estudos anteriores, que enquanto a maioria dos adolescentes usava as mesmas plataformas de mídia social que seus pares, adolescentes de baixa renda preferiam mais o Facebook do que os adolescentes de uma família de renda mais alta.

A pesquisa do Pew não conseguiu encontrar um consenso claro entre os adolescentes sobre os efeitos das mídias sociais em suas vidas.

Quase um terço descreveu o efeito como positivo, e um quarto disse principalmente negativo. O maior bloco, 45%, disse que o efeito não foi positivo nem negativo.

Fonte: www.bbc.com/news

COMPARTILHAR

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here