Empoderamento feminino e proteção da Amazônia inspiram nova coleção da FARM em parceria com índias Yawanawa.

0

por: Redação Hypeness

Em tempos de discussões sobre a inclusão social e valorização da mulher, a questão indígena se faz mais latente. As tribos estão, como nós, em constante mudança e evolução.

Em uma recente campanha do Instituto Socioambiental (ISA), esse é o mais forte argumento de respeito e inclusão social. #MenosPreconceitoMaisÍndio fala sobre conexão, fala como os indígenas não são diferentes de nós quando se trata de identidade, desejos e hábitos.

Quem se impressiona e critica o fato de tribos inteiras hoje terem acesso à tecnologia, produtos e roupas criadas no mundo branco precisa assistir ao vídeo da campanha.

Regado a uma série de imagens que mostram a tribo Baniwa totalmente diferente do imaginário de 1500, com índios vestidos como querem, usando computador e jogando bola, o impactante vídeo provoca reflexão sobre como vemos essas pessoas hoje.

As empoderadíssimas mulheres Yawanawa, no Acre, são um grande exemplo dessas mudanças, sendo as primeiras a se tornarem caciques, pajés e professoras indígenas. Em uma pesquisa sobre esse povo tão conectado com os tempos atuais, a FARM fez uma parceria com as mulheres das aldeias Yawanawa para criar uma série de peças especiais com os trabalhos feitos com miçangas por elas mesmas.

Trabalho artesanal das Yawanawa

“Ter mulheres nas lideranças é raro, mas algumas foram empoderadas depois de conhecerem as Yawanawa. No Acre, elas são referência desde 2005”, explica Romina Lindemann, que fez a conexão entre a marca carioca e as mulheres da tribo. “Daiara Tukano, Sonia Guajajara e outras tantas estão fortes na política. Então felizmente temos várias mulheres emergindo e inspirando nessa espiral de empoderamento”.

Por escolha delas, a coleção foi intitulada Rauti, que significa “adornos de beleza e proteção”, na língua Yawanawa. A série de roupas, bolsas e acessórios apostou na estamparia gráfica e no clássico preto e branco, com interferência de listras arco-íris, para saltar a beleza das aplicações Yawanawa. “Elas nos inspiraram muito nos seus degradês e na poesia do trabalho artesanal. É uma honra poder levar para nossas clientes peças com histórias tão lindas de empoderamento feminino e com a força espiritual da floresta!”, conta Katia Barros, diretora criativa da FARM.

Os acessórios são o ponto alto, já que foram feitos pelas mulheres Yawanawa. Todos vêm do projeto RAUTIHU, encabeçado pelas irmãs Kátia, pajé Yawanawa, e Júlia, que buscou organizar as artesãs espalhadas pelas nove aldeias que margeiam o rio Gregório para criar e produzir seus Rauti.

As miçangas e os Rauti das índias Yawanawa

As t-shirts e jaquetas jeans tipográficas com o escrito “Yawanawa” ganham interferência de miçanga com os símbolos da cabeça da jiboia e espinha de peixe, trazendo todo afeto e boa energia para as peças. As mochilas e as pochetes ganham bossa na coleção com o colorido do trabalho das artesãs.

A coleção integra a comunicação principal, “O Coração é O Norte“, toda focada na região norte do país. As peças convidam o Brasil a olhar o a fauna, flora e a cultura do povo do Norte do país.. Além dos acessórios produzidos pelas Yawanawa e da divulgação da campanha do ISA, a FARM criou ainda uma coleção para a campanha #menospreconceitomaisindio. As peças ajudam a realmente vestir a causa, já que 8% de royalties da venda da linha serão revertidos para que o instituto continue fazendo seu trabalho.

Peças da FARM são combinadas com o trabalho das Yawanawa

O ISA é uma das principais organizações ambientalistas e indigenistas do Brasil. Com 24 anos de vida, a organização atua regional, nacional e globalmente para defender povos indígenas, comunidades tradicionais, direitos humanos e o patrimônio cultural, valorizando a diversidade socioambiental do país. O instituto trabalha em parceria com comunidades indígenas em diversas regiões da Amazônia em iniciativas de proteção territorial, fortalecimento cultural e de alternativas econômicas.

Para fortalecer ainda mais essa ideia de respeito e mostrar a realidade das tribos, a FARM disponibilizou em lojas do Rio de Janeiro e de São Paulo, o Gear VR, óculos de Realidade Virtual da Samsung. A ação, que aconteceu de janeiro a março de 2018, oferecia uma imersão em 360 graus na realidade desses povos.

O conteúdo disponibilizado foi gravado em uma aldeia do povo Waurá, do Parque Indígena do Xingu, no Mato Grosso. Uma coprodução do ISA com a Academia de Filmes, dirigido por Tadeu Jungle e narrado pela atriz Fernanda Torres, o curta-metragem de sete minutos é o primeiro filme em Realidade Virtual feito com um povo indígena e mostra o cotidiano dos Waurá, além de chamar a atenção para uma ameaça que paira sobre todos os povos da Amazônia: o fogo fora de controle.

“Nesta coleção, fomos além da roupa, trouxemos uma moda cheia de causa e significado. Falar da Amazônia é falar de como podemos contribuir para proteção da nossa biodiversidade, dos nossos povos indígenas e das ricas expressões culturais que atravessam o norte do país – da Ilha do Marajó às aldeias Yawanawa no Acre. Estamos muito felizes com a parceria com o ISA e de fazer com que esta coleção contribua concretamente com o trabalho deles na defesa dos povos indígenas e do meio ambiente”, complementa Katia.

Peças feitas em parceria com as mulheres da tribo Yawanawa

Fotos: Divulgação/Lara Dias
Fonte: www.hypeness.com.br

COMPARTILHAR

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here